Chegou 2018, que janeiro venha com saúde!

Mais um ano se inicia e janeiro vem trazendo para o centro da discussão a Saúde Mental.  A Campanha Janeiro Branco, por uma cultura em Saúde Mental, convida as pessoas a pensarem na sua vida, além de propor campanhas, intervenções, ações, projetos e políticas que valorizem as demandas individuais e/ou coletivas para reflexão sobre a Saúde Emocional. Mas o que é Saúde Mental?

Foi a época em que discutir Saúde Mental era dizer apenas daqueles que sofrem de alguma doença mental. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o termo saúde mental remete a um estado de bem-estar no qual o indivíduo é capaz de usar suas próprias habilidades, recuperar-se do estresse rotineiro, ser produtivo e contribuir com a sua comunidade. Mas o que isso significa?

Usar as próprias habilidades significa utilizar-se do que temos de melhor para alcançar nossos projetos e desejos, seja nosso talento, nossa pró atividade, nossa inteligência, nossa solidariedade, dentre outras habilidades que só nós mesmos podemos identificar. Recuperar-se do estresse rotineiro, é mostrar-se resiliente, ou seja, ser capaz de superar obstáculos, adaptar ou resistir às situações diversas. Mas como fazer isso? Identificar e praticar as coisas que nos fazem bem é uma ótima ferramenta para driblar o estresse e refletir sobre os desafios que surgem. Seja praticar exercícios físicos, meditar, passear com o cachorro, cozinhar o prato predileto, ter uns momentos a sós e etc. Ser produtivo significa realizar, praticar, produzir, ser ativo, mover-se em direção a nós próprios e aos outros.

São cinco os objetivos dessa Campanha: (1) fazer do mês de janeiro um mês de referência na reflexão e debate da Saúde Mental; (2) chamar a atenção para os temas de Saúde Mental e Emocional; (3) aproveitar da representação que o início do ano traz para propor importantes reflexões sobre a vida; (4) chamar a atenção das mídias e instituições públicas e privadas para discutir esse tema e (5) contribuir para a construção de uma cultura em Saúde Mental.

Nossos pensamentos influenciam muito em nossa maneira de ser no mundo e em nossas atitudes! Muitos ainda carregam a noção de que terapia é para doido ou para quem precisa muito. Mas a verdade, é que vai à terapia quem se preocupa com sua saúde, quem busca refletir e se orientar, dialogar e desenvolver. Nós podemos tornar as coisas mais simples (não quer dizer fáceis, mas que nos causem menos dor no dia-a-dia) e assim aproveitar mais a vida. É hora de colocar as metas e os projetos em prática, não deixe que nada vá contra você, nem a sua mente! Caminhar com os próprios pés e, já que Janeiro é o primeiro mês do ano, que comecemos com o pé direito!

 

Admin Autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *