Carnaval de Lafaiete surpreende e resgata a tradição da folia na cidade

A despretensiosa marchinha Me dá um dinheiro aí, composta pelos irmãos Ivan, Homero e Glauco Ferreira, acompanha os foliões há quase seis décadas. Em pleno 2018, a música mantém como nunca sua atualidade em Conselheiro Lafaiete, onde o carnaval ganha corpo, aquece o comércio e movimenta a economia. A estimativa é de que a festa momesca tenha gerado uma bolada acima de um milhão de reais aquecendo a economia local. Afinal, não é só de folião que vive o carnaval. Em torno da festa mais aguardada do ano faturaram comerciantes ávidos por oportunidades, músicos, autônomos, vendedores ambulantes, costureiras e toda uma cadeia produtiva de gente que ganha com a folia.

Para essa turma que transforma a festa num negócio lucrativo, as exigências cresceram neste ano em que o carnaval de Conselheiro Lafaiete mostra ter superado a famosa folia de Ouro Preto, só perdendo para os grandes centros. A novidade é que a criatividade e a irreverência carnavalesca abriram alas para a inovação na cidade.  “Fizemos um trabalho intenso para preparar este carnaval para a população de Conselheiro Lafaiete e recebemos como resultado a alegria dos foliões, das bandas, dos blocos, das entidades carnavalescas e de todos que se envolveram de alguma forma na organização e execução do carnaval. O retorno que estamos recebendo das pessoas é muito positivo e o clima de paz que ocorreu em toda a festa foi uma grande conquista. Não tivemos um carnaval violento como alguns pessimistas previam”, destacou Geraldo Lafayete.

Às vésperas da festa de Momo, as lojas estavam cheias de artigos carnavalescos feitos por gente que curte a folia em Conselheiro Lafaiete, rodando pela cidade nesta quarta a reportagem do Portal Paraopeba Notícias não encontrou praticamente mais nada.

A Associação das Micro e Pequenas Empresas da Região das Vertentes – AMPERV, considera o carnaval de Lafaiete uma nova oportunidade de fazer negócios. “Antes, empresários eram acostumados com uma movimentação ínfima. Agora nem se compara. O carnaval está sendo acrescentado ao calendário do comércio como uma data boa, com a perspectiva de crescimento gradativo”, afirma o presidente da AMPERV, Renato Lisboa.

O crescimento da folia na cidade, que trouxe cerca de 100 mil foliões – sendo mais de 30% de turistas – atraídos pelos mais de10 blocos que sairam pelas ruas e avenidas, tem animado os empresários. O comércio informal também está pulsando com o carnaval. A Prefeitura cadastrou quase 100 ambulantes para vender bebidas e adereços nos ensaios de blocos e nos quatro dias da festa.

 

Admin Autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *