Poesia e Música no Museu de Congonhas se consolidam como um dos melhores projetos culturais da região

Noite de clima agradável, público animado, muito alto astral e a presença de Toni Garrido, multiartista de renome internacional, fizeram desta edição do “Poesia e Música no Museu”, um grande sucesso, numa noite que consolidou o projeto, parte integrante da programação do Museu Para Todos. Centenas de pessoas lotaram o anfiteatro do Museu de Congonhas, nesta quarta-feira, 23, para participar do evento. Em agosto, a iniciativa retorna com uma segunda temporada com participação de grandes nomes da MPB.

O encontro, mediado pelo pesquisador, ensaísta e professor universitário, Júlio Diniz, trouxe para o público canções como “Girassol” e “Sou você”, que marcaram a carreira do artista e a vida de muitos dos presentes. Já no início do evento, Toni apresentou a canção “Onde você mora?”, que foi cantada em coro com a plateia e trouxe um clima de nostalgia no ar.

Toni Garrido deixou o público muito à vontade, assim como quem faz uma visita na casa de amigos, ele sentou, contou a bela história de sua vida, que é regada de superação, encontros e oportunidades. O artista, que veio de uma família podre, nasceu na periferia do Rio de Janeiro, filho de mãe negra e empregada doméstica, mostrou como se esforçou dia a dia para completar os estudos e se entregar a carreira artista que o consagrou nacional e internacionalmente. O artista também falou sobre as dificuldades enfrentadas pelas minorias, do preconceito em suas diversas formas, racismo, desigualdade social e homofobia.

Mesmo tratando de assuntos sérios, Toni conduziu o bate-papo de uma forma leve e descontraída. O cantor trouxe em suas palavras uma mensagem de incentivo para artistas que, assim como ele, teve dificuldades, mas também tem a garra necessária para transpor barreiras e realizar grandes sonhos.

O público, de Congonhas e das cidades do entorno, participou do evento satisfeito com a oportunidade. O motorista de Ouro Preto, Lindomar Souza, se surpreendeu com o carisma e inteligência do artista, “achei muito bom o evento, não foi como um show apenas foi um momento de aprender também sobre a cultura e conhecer um artista tão importante”, disse. Silvana Campos é pedagoga em Conselheiro Lafaiete e ficou tocada com a história do cantor, “eu adorei saber da vida do Toni, ele nos envolveu, nos aproximou dele e nos mostrou que é gente como a gente”, afirmou Silvana, ratificando o depoimento do mecânico Congonhense, Luiz Paulo, “surpreendente conhecer essa história de vida, grande oportunidade para quem esteve presente”, afirmou.

Toni visitou o Museu de Congonhas e toda a parte histórica de Congonhas e se encantou com a arte, a fé, a história da Cidade dos Profetas e se revelou encantado com tudo que vivenciou aqui. “Cidade linda cheia de história, público caloroso, atento e receptivo e o Museu maravilhoso. Agradeço pela experiência e oportunidade!”, finalizou.

Admin Autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *