Escola Ferroviária pode constituir principal módulo de aprendizagem do Senai em Lafaiete

Integrantes da Comissão Pró-Ferrovias da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, entre os quais o deputado estadual Glaycon Franco (PV), fizeram nesta segunda-feira, 13 de agosto, uma visita à MRS e à Prefeitura de Lafaiete, e se reuniram com o prefeito Mário Marcus em seu gabinete de trabalho. Eles também estiveram no Museu Ferroviário, que deve ser oficialmente inaugurado pela Prefeitura em setembro.

O presidente da comissão, deputado João Leite (PSDB), citou a importância de Lafaiete na história das ferrovias mineiras e o conhecimento conquistado pela cidade na fabricação de vagões, bem como no reparo e manutenção de locomotivas: “Lafaiete escreveu um capítulo importante na história das ferrovias em Minas Gerais e abrigou a Companhia Industrial Santa Matilde, de importância ímpar para o Brasil. Estivemos aqui a convite do deputado Glaycon Franco e tivermos a oportunidade de nos encontrar com os ferroviários locais, representantes da MRS e da prefeitura, ocasião em que propusemos a criação de um novo grupo de trabalho visando a retomada das atividades na área da antiga empresa Santa Matilde. A indústria tem hoje outros proprietários e queremos que eles também façam parte deste entendimento para a volta da manutenção de vagões e locomotivas em Conselheiro Lafaiete, gerando novos empregos no município.”

Porém, para o Gerente Geral de Relações Institucionais da MRS Logística, Sérgio Carrato, a retomada das atividades da Companhia Industrial Santa Matilde não deve acontecer a curto prazo e o ideal é concentrar esforços na criação da escola ferroviária no âmbito do Senai: “A questão da Companhia Santa Matilde é muito complexa e acho que mais importante, neste momento, é viabilizar, através da FIEMG e do SESI, a implantação da escola ferroviária. O SESI já está preparado e tem, inclusive, autorização do DNIT para se instalar na antiga oficina de locomotivas de Lafaiete (O prédio da Santinha). Temos de fazer um trabalho, nós da MRS e os profissionais da época da Santa Matilde, para formar uma nova mão-de-obra qualificada de jovens trabalhadores. A revitalização da Santa Matilde seria um segundo passo, pois é uma questão que foge ao domínio da MRS e do próprio Município. Tem a ver com o Poder Judiciário e o empresário que adquiriu a massa falida da empresa, pagou por isso e vai querer ter uma remuneração. Portanto, reafirmo que o mais interessante para o desenvolvimento do setor é a criação da escola ferroviária”, afirmou Carrato.

 

 

Admin Autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *