Sem ninguém tomar providência, Viação Presidente pinta e borda em Lafaiete

Um déficit abissal de desrespeito, descaso e insegurança. Ao arrepio da lei e do contrato, a Viação Presidente transformou o transporte público em uma “terra sem lei”. Sem fiscalização, diariamente a empresa quebra o contrato sem sanção.

O sucateamento da frota demonstra uma empresa sem qualquer  comprometimento com os lafaietenses. Apesar dos esforços sem resultados concretos, falta uma fiscalização eficiente. Cada autoridade tem seu quinhão de responsabilidade no cenário decadente que se transformou o transporte público em Lafaiete. Como se não bastasse, andar de ônibus é sinônimo de risco de morte, tal o grau decadência do serviço oferecido pela Viação Presidente.

A situação passou dos limites e todos os dias são relatos de ônibus quebrados em diversas partes de Lafaiete fazendo trabalhadores perderem o dia de serviço. “Venho fazer uma reclamação da nossa tão estimada empresa presidente. Nós, os usuários, estamos cada vez menos assistidos e com a falta de respeito, por parte da empresa. Hoje 2 ônibus que fazem a linha São Dimas, Santa Efigênia, JK, Morada do Sol quebraram logo na parte da manhã no horário que nos temos quer ir trabalhar. Isso é um descaso total com nos usuários”, desabafou uma usuária que chegou atrasa ao emprego.

Empresa virou alvo de pesadas críticas por causa do sucateamento da frota/REPRODUÇÃO

Ontem (8), por volta das 18:40 horas, com o terminal da avenida Telésforo Cândido totalmente lotado de usuários, quando na linha da Rua Brasil, uma idosa embarcava  com o uso do elevador. Ele parou no meio da operação e a senhora não conseguiu subir no ônibus. Com isto tentaram voltar o elevador mas ele não respondeu aos comandos. Assim todos os passageiros tiveram que descer e passar para outro ônibus. O motorista ligou para Viação Presidente e foi informado que no momento nada poderia ser feito e que era para ele despachar os passageiros, levando o ônibus com a porta aberta e elevador para fora do ônibus até a garagem. Com isto foi um reboliço no terminal, pessoas injuriadas com o descaso. Usuários esperaram até 25 minutos até a chegada de outro veículo e só assim a senhora conseguiu embarcar.

Opinião

Esta realidade a que são submetidos os usuários do transporte coletivo de Lafaiete é mais que uma afronta. É um abuso aos direitos aos direitos básicos dos cidadãos.  Isso acontece que a Viação Presidente não é fiscalizada e a omissão criou esta situação que afronta os usuários e nenhuma atitude é tomada pelos órgãos públicos que deveriam zelar pela qualidade do serviço.

Presenteada com um aumento de 10% quando a passagem passou de R$3,00 para R$3,30, a Viação Presidente iniciou a operação de linhas sem o cobrador. Assim que cobrará a passagem será o próprio motorista. A medida coloca em risco dezenas de empregos.

“Alô autoridades responsáveis por Lafaiete e pelo transporte público, até quando vamos ficar correndo o risco em andar nestas “carroças”. Conselheiro Lafaiete precisa de uma empresa responsável pelo transporte coletivo! Não somos obrigados a depender deste transporte vergonhoso, e correr o risco de sofrer um acidente, perder horário de serviço, por causa da falta de responsabilidade desta Presidente que sequer pode ser chamada de “EMPRESA”.”, reclamou um internauta.

A situação é tão degradante que nas redes sociais virou zombaria com a criação de uma página nas redes “sociais “#A viação presidente de conselheiro Lafaiete é uma vergonha” em que relatam as mazelas sofridas pelos usuários.

Até quando esta situação de descaso permanecerá em Lafaiete sem uma atitude de aos menos de fiscalização da prefeitura? Realmente em Lafaiete o clamor popular pouco resolve.

Correio de Minas

Admin Autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *